Quer contar sobre o seu jogo? Documente suas histórias, depois crie conteúdo.

Um dos caras que eu mais respeito no marketing chama Gary Vaynerchuk. Ele é direto na conversa e atua sempre com uma característica de dizer para “você focar em você“, já que é o que se tem mais controle. 🙂

Uma outra coisa que o Gary fala muito é sobre o conceito “document, don’t create”. Isso significa você sempre documentar o que faz, e criar conteúdo depois disso. Muitas vezes queremos inverter… “ah, vou fazer tal coisa para publicar tal vídeo ou história” mas isso nos atrapalha fora que tira o elemento natural de fazer  que estamos fazendo.

E também é importante a gente mostrar a realidade, as dificuldades. Vou dar três exemplos:

  1. Eu tenho uma obsessão por lances livres. É o mais próximo de mindfulness que chego, mantendo meu grau de atenção ao máximo. O meu recorde em 2018 está em 30 lances livres seguidos em um treino com o Danilo Castro, mas não tem vídeo!! Todo caso tenho documentado um treino que fiz onde consegui 20 seguidos. Eu documentei o treino todo, e criei dois conteúdos. Um vídeo com os 20 acertos e outro vídeo com todo o treino de lance livre até chegar nos 20 seguidos.
  2. Contar arremessos não é a tarefa mais legal. Séries de 10, percentuais, ficar pensando se você está melhor ou pior… mas agora eu consegui um aliado nisso! Homecourt.ai, aplicativo que ainda vai ganhar um post só dele aqui no blog. O lance é que ele grava o treino todo, documenta seus erros e acertos, indica sequência de arremessos e gera toda estatística de arremessos para você. A história que contei com ele no meu instagram foi indicando um vídeo com 5 acertos de três pontos (tenho uma regra para sair de quadra que são 10 lances seguidos certos e 5 de três pontos seguidas) e outro post com a estatística da sessão de treino, que contabilizou 220 arremessos e 111 acertos. E agradeço muito pois o máximo que eu conseguia fazer era saber a quantidade total de arremessos que tinha feito e o máximo seguidos que tinha conseguido. Com um aplicativo destes eu consigo focar muito mais no meu treino e consigo ficar mais focado nos arremessos!
  3. E esse é para o caso de você realmente querer contar uma história. Pode ser a jornada de um campeonato, pode ser um treino na praça, mas tudo pode ser documentado e depois virar uma produção massa. Olha o exemplo do “Over the hill dunker” que é o vídeo que deixo encerrando este post. Foi a jornada de um jogador (Andy Nicholson) querendo participar de um campeonato de enterradas, sendo que ele nunca tinha conseguido enterrar até então. E tudo pode ser transformado em micro conteúdos, juntando conteúdos que você armazenou e contar outras histórias!

— Daniel Wildt

P.S.: imagem usada no post. https://flic.kr/p/7FH9U9

P.S.2: Conheça mais do trabalho do garyvee, e olha: ele joga basquete!

Autor: dwildt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.