Salary cap de 100M, como OKC gastará mais de 300M em salários?

Uma notícia tem agitado o mundo da NBA. Muito se falou que o GSW teria, na temporada 19/20, um gasto acima de 300M de dólares com o salário dos jogadores. Isso porque contratos como o de Klay Thompson e Draymond Green expiram nessa temporada e precisam ser renovados. Espera-se que eles recebam um aumento substancial.

O que ninguém esperava é que OKC se antecipasse e conseguisse exceder esse valor ainda nesta temporada.

Após renovar o contrato com Raymond Felton por 1 ano, no valor de 2.4M, OKC é o primeiro time a superar o valor de 300M de dólares. Mas como isso é possível se o teto salarial da NBA é de quase 100M de dólares?

Como já falamos em posts anteriores, a NBA utiliza um soft salary cap, onde é possível exceder o teto salarial em algumas ocasiões.

Mas para inibir os times de gastarem um valor muito maior que o teto, a NBA implantou um sistema de luxury tax, onde o time que exceder um determinado valor paga uma taxa para a liga. Na temporada de 17/18 o Tax Level foi colocado em 119M, ou seja, um time tem um teto salarial de 100M, mas se gastar até 119M não há penalidade. Acima disso começa a ficar pesado. Se um time exceder entre 0 e 5M, paga 1,5 dólares para a liga para cada dólar gasto. Entre 5M e 10M, paga-se 1,75 dólares por cada dólar gasto.

Ou seja, se um time tem uma folha salarial de 127M de dólares, ele excedeu o tax level em 8M de dólares. Pelas regras estabelecidas ele precisa pagar 12,75M para a liga em luxury tax (5*1,5 + 3*1,75). O gasto salarial do time fica em torno de 140M.

Mas ainda fica pior. Caso um time fique acima do tax level por 2 anos seguidos, ele vira um repeater, que aumenta ainda mais o valor da penalidade. Neste caso, um time precisa pagar 2,5 dólares para cada dólar gasto entre 0 e 5M, e 2,75 dólares entre 5M e 10M. Usando o exemplo já citado, se um time tem 127M em salários por 2 anos seguidos, no segundo ano ele pagará 20,75M em luxury tax (2,5*5 + 3*2,75).

A tabela abaixo mostra as faixas de penalidades:

 

 

Por esse motivo estão falando tanto sobre usar o Stretch Provision (entramos nesse tópico em outro post) no Carmelo Anthony. Não entraremos no mérito do que ele produz em quadra, mas após o jogador exercer o player option, o salário dele será de 27,9M na temporada de 18/19. Segundo alguns experts em salary cap da NBA, usando o Stretch Provision no Melo faria com que OKC economizasse aproximadamente 100M de dólares na próxima temporada.

Somente por curiosidade. Em 2012 o mesmo OKC ofereceu uma extensão de contrato para James Harden no valor de 55M por 4 anos de contrato (13,75M avv), ao invés do máximo permitido na época (60M por 4 anos, 15M avv). A justificativa foi de que eles não queriam oferecer um valor que pusesse o time no luxury tax.

Autor: Marcel Yoshizako

Programador de formação tendo a estatística esportiva como paixão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.